A variedade de estampas, cores e texturas é o que faz do papel de parede um artigo tão interessante no design de interiores. Mesmo com tantas possibilidades para criar estilos, esse tipo de material ainda é rodeado de mitos que deixam muita gente indecisa sobre seu uso na decoração.

Para provar que opiniões negativas não passam de suposições, vamos esclarecer agora 7 mitos sobre o papel de parede. Acompanhe e elimine dúvidas!

1. É antiquado

Há quem diga que o papel de parede é um item ultrapassado ou até mesmo cafona. Se você também pensa assim, provavelmente nunca deu uma espiada nos modelos mais modernos e recém-lançados do mercado. Tudo bem que estampas antigas podem até ter aquela aparência de casinha de vó, mas elas não são mais maioria.

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, fabricantes do tradicional papel de parede já podem apostar em uma variedade maior de cores, texturas e desenhos. Isso permite que o material seja um verdadeiro aliado na hora de compor estilos apreciados por todos os gostos e preferências.

E aí? Deu vontade de testar possibilidades? Então vá até a loja mais próxima e escolha o modelo ideal para repaginar sua casa!

2. Custa muito caro

O papel de parede pode até ser uma opção mais cara se for comparado com uma pintura simples. Acontece que o custo desse material é irrelevante quando você põe na balança todas as vantagens e possibilidades que ele traz para a decoração.

Veja só: reproduzir a mesma textura e estampa de um papel de parede apenas usando tinta é muito mais trabalhoso e pode exigir um trabalho especializado. Logo, além de pagar mais para que um artista faça a pintura, você também precisa aguardar um tempo maior para a finalização desse serviço.

Quando opta pelo papel de parede, você agiliza o processo decorativo e ainda tem a certeza de que o resultado do desenho será fiel ao que tinha planejado para o espaço. Quer garantir economia? Então pesquise modelos até encontrar o melhor custo-benefício e calcule a quantidade correta de material para evitar o desperdício.

3. Tem curta duração

Maior Resistencia

Você já deve ter visto alguma superfície marcada por papel de parede rasgado ou cheio de buraquinhos. Essa fragilidade do material era característica comum dos modelos mais antigos, mas isso já é passado. Atualmente existem papéis fabricados com produtos que oferecem maior resistência contra a umidade e possíveis impactos.

Vale lembrar que uma aplicação mal feita também contribui para a curta duração do material. Logo, é importante seguir as instruções de cada fabricante para evitar bolhas e deformações que possam desgastar o material.

Com todas as condições para aumentar a vida útil do papel, o único motivo que poderá tirá-lo da parede antes do tempo é o desejo de trocar de modelo, cor ou estampa.

4. Só serve para a parede

Apesar do nome, o papel de parede não precisa se limitar às superfícies verticais dos ambientes. Desde que aplicado em uma superfície seca, lisa e uniforme, esse material pode ser aproveitado em praticamente todas as áreas da casa. Veja abaixo exemplos para sair da mesmice:

  • pisos: o papel de parede vinílico é o ideal para instalar no chão de ambientes internos. Impermeável, esse modelo é fácil de limpar e oferece opções que imitam a aparência da madeira, concreto e pedras naturais;
  • tetos: o papel de parede pode dar um novo visual ao teto de ambientes secos, como salas, quartos e corredores. Para isso, é importante que o forro seja completamente liso, como o modelo em gesso ou concreto;
  • móveis: armários, cômodas, nichos e prateleiras são peças que podem ser decoradas com papel de parede porque costumam ser lisas e retilíneas;
  • detalhes: papéis chamativos ou com cores fortes podem ser aplicados apenas nos detalhes construtivos da casa, como vigas, colunas e painéis.

5. É proibido nas áreas molhadas

Áreas como banheiro, cozinha e lavanderia têm contato frequente com a água e por isso pedem um cuidado maior na escolha dos revestimentos. Porém, ao contrário do que muita gente pensa, esses espaços também podem receber o papel de parede. Existem dois modelos específicos que costumam ser indicados para as áreas molhadas:

  • papel de parede vinílico: é resistente à umidade e ao contato com resíduos de fumaça e gordura. Cabe destacar, porém, que o modelo não é lavável e por isso deve ficar longe do fogão;
  • papel de parede TNT: composto de fibras de poliéster e celulose, esse papel tem uma base de algodão que absorve a umidade das superfícies e evita o aparecimento de manchas. Devido a essa característica, pode ser usado tranquilamente em cômodos expostos à umidade e gordura.

6. Dá trabalho para aplicar

Todo processo decorativo possui passos específicos que devem ser seguidos para a obtenção de um bom resultado. Entre as opções usadas para essa finalidade, o papel de parede é com certeza uma das mais simples e práticas. Veja abaixo dicas para aplicar o material na sua casa:

  • retire os objetos e acessórios da superfície que vai receber o papel;
  • limpe toda a área de aplicação para remover poeira, manchas e mofo;
  • desenhe linhas na superfície para guiar a aplicação do papel;
  • corte o papel no tamanho desejado deixando 5 centímetros extras em cada extremidade;
  • passe a cola e aplique o papel na superfície. Em paredes, é necessário começar o processo sempre pelo topo;
  • com o auxílio de um pincel, nivele o papel do centro para as bordas até remover as bolhas de ar e ondulações;
  • para finalizar, limpe os resquícios de cola com uma esponja úmida e corte as sobras de 5 centímetros do papel.

7. Estraga a pintura

Quase impossivel danificar a pintura

O papel de parede só vai estragar a pintura se essa for muito antiga ou mal feita. Caso contrário, é praticamente impossível danificar a tintura com a aplicação de um novo material decorativo.

Para minimizar as chances de estrago, certifique-se de usar apenas cola própria para papel de parede em cada aplicação. No momento da remoção, passe um rolo molhado sobre toda a superfície até que o papel fique completamente encharcado. Depois é só usar uma espátula para descolar o material sem prejudicar o acabamento da base.

Viu só como é possível usar o papel de parede em diferentes superfícies? Caso tenha outras dúvidas, nunca deixe de se informar para não perder a chance de decorar a casa com materiais de qualidade.

Esclarecidos os mitos, aproveite para conferir agora nosso post sobre 5 tipos de papel de parede e como escolher o ideal para sua casa!

 

Conheça a loja

Escrito por QCola