cultura oriental

Você já reparou como é cada vez mais comum residências que trazem referências à cultura oriental — em especial a japonesa — na decoração? São detalhes que vão desde os objetos decorativos até revestimentos por todo o imóvel. Isso ocorre, em especial, com os ideogramas japoneses.

É justamente por esse motivo que o interesse em entender mais sobre o significado que possuem e também o uso que lhes é atribuído cresce exponencialmente, conquistando adeptos e curiosos que buscam personalizar o lar com bom gosto e criatividade.

Pensando nisso, reunimos tudo o que você precisa saber sobre o assunto e o principal: como inserir essa tendência no seu lar sem cometer erros quanto ao décor. Acompanhe!

Afinal, o que são ideogramas japoneses?

Muita gente costuma confundir as escritas japonesa e chinesa, especialmente quando se trata dos símbolos que são tão frequentes em ambas as formas de expressão. Contudo, o que uma grande parcela dessas pessoas não sabe é que existe um motivo para isso ocorrer.

Afinal, os ideogramas japoneses são oriundos de muitos dos caracteres desenvolvidos na China há mais de dois mil anos quando as dinastias Lian, Tang, Jin, Zhou e Han — sendo esta última a soberana por mais de 400 anos — disputavam o reino chinês e inúmeros dialetos coexistiam — o que dificultava a comunicação tanto oral quanto escrita à época.

Foi para que houvesse um entendimento comum em meio a enorme variedade linguística que criou-se os kanjis nesse período, que nada mais são do que um sistema de símbolos especiais capazes de representar palavras ou ações com sentido completo e o principal: de fácil compreensão para o povo oriental.

De tão simplistas, concisos e, principalmente, unificadores, esses caracteres se tornaram parte fundamental da escrita nacional e um aspecto visceral da cultural chinesa sendo passado de geração em geração.

Mas foi no decorrer dos séculos IV, por meio de miscigenações e do comércio de mercadorias e especiarias entre nações, que esses ideogramas ganharam variantes no seu vizinho, o Japão.

A cultura nipônica não apenas adotou massivamente o uso desses símbolos, como também utilizou eles para complementar a construção de sentenças e orações na língua do país.

Por causa disso, foram desenvolvidos centenas de novos kanjis, antigos se perderam e outros permaneceram no limbo de transformações fonéticas e modificações estruturais ao longo dos anos.

Quais os ideogramas mais usados e quais seus significados?

Significados

Devido à profusão de diferentes ideogramas japoneses, tanto aqueles oriundos dos dialetos chineses como os que foram desenvolvidos no Japão ao longo dos séculos, o governo japonês resolveu desenvolver um guia especial em 2010 voltado para toda a população.

Nele, eram listados — de modo oficial e promovidos pelo Ministério da Educação — os 2.136 kanjis que são usados diariamente em materiais publicados (como revistas e livros) e audiovisuais (como tv e cinema) e que deveriam ser aprendidos por crianças e adolescentes nas escolas.

Porém, é claro, alguns desses caracteres não apenas têm uma utilização em larga escala na rotina dos japoneses, como também se popularizaram entre os admiradores da cultura nipônica — o que ajudou a solidificar a presença deles no idioma e evitar que caíssem em desuso como tantos outros ideogramas na história milenar do país oriental.

Por conta disso, criou-se um grupo diminuto com os principais kanjis que foi incorporado à arte, ao universo das tatuagens, ao grafismo, à moda e ao design de interiores no ocidente devido às suas representações e a mensagem que são capazes de passar.

Não é à toa que eles podem ajudar as pessoas a demonstrar suas respectivas personalidades e também a expressar algumas palavras ou mesmo sentimentos latentes que são importantes na vida delas (e as marcaram de uma forma especial) de maneira mais delicada, concisa e repleta de simbolismo.

Abaixo, nós listamos os principais ideogramas japoneses e quais são seus significados para despertar sua curiosidade e fazer com que você se familiarize com cada um deles, aprendendo mais sobre a história desses caracteres tão únicos e ricos em interpretações.

力 — representa a “força“, tanto física quanto mental e a capacidade de resistir;

家 — representa a “casa”, o nosso lar;

心 — representa o “coração”, tanto literal (o órgão) quanto figurativamente (de onde vêm os sentimentos);

気 — representa o “espírito”, a alma, seja de pessoas ou animais;

生 — representa a “vida“, o bem mais precioso do homem e que é como um sopro que se apaga;

家族 — representa a “família“, seja ela aquela que lhe é designada no nascimento ou a que você escolhe;

誠 — representa “sinceridade”, seja consigo mesmo ou em suas relações pessoais e profissionais com os demais;

礼 — representa o ato “agradecer” pelas coisas boas, pelas conquistas, pelas vitórias e também pelos aprendizados e perdas;

勝 — representa “vitória”, uma conquista importante no âmbito pessoal e/ou profissional;

命 — representa o “destino”, ao que você está destinado a fazer e/ou cumprir, sua missão na terra;

愛 — representa o “amor“, seja ele entre familiares, amigos ou o amor romântico;

光 — representa a “luz” como indicativo de caminho a seguir, o conhecimento a alcançar ou a esperança que se deve ter;

平 — representa a “paz” interior, em suas relações e entre os povos e nações;

友情 — representa a “amizade” e a importância dela na vida de cada um;

健 — representa a “saúde”, seja ela física, emocional ou espiritual;

目 — representa “foco” nas decisões pessoais, nas escolhas e no futuro;

傲 — representa o ato de se “orgulhar” de quem você é, da sua família, das suas conquistas pessoais e das experiências (sejam elas boas ou ruins) que você teve;

俺 — representa o “seu eu interior”, suas crenças, suas concepções, suas morais e seus costumes;

寛 — representa “tolerância” com o que é diferente, com quem pensa de forma oposta e com que tem outras tradições;

忍 — representa “ser paciente” ao aprender coisas novas, ao lidar com adversidades e ao conviver com pessoas diferentes;

美 — representa a “beleza“, o que é belo externa e internamente;

母 — representa a “mãe“, a maternidade e/ou aquela que cria e dá amor;

父 — representa o “pai“, o progenitor e/ou aquele que cria e dá amor;

聴 — representa “saber escutar” ao que os demais falam, ao que os mais velhos ensinam e ao que seu coração e sua mente lhe indicam;

麗 — representa o ato de ser “gentil e amável” com o próximo;

立 — representa o ato de “manter-se de pé” frente às adversidades da rotina, enfrentado-as;

結 — representa “união”, os laços que você cria com parentes e amigos;

今 — representa o “agora”, o momento de viver, de agir e de sentir;

正 — representa a “justiça”, ser correto em suas ações, corrigir o que está errado e respeitar o próximo;

神 — representa “Deus“, o lado espiritual do homem e a força que rege os universos, a natureza e a vida;

信 — representa a ““, seja ela em um criador, no poder da natureza ou na capacidade de se autossuperar;

生 — representa o “nascimento”, o início de outra vida e o recomeço;

言 — representa a “palavra”, a força que ela tem e a importância de cumpri-la;

Por que o ideogramas são utilizados no idioma japonês?

Como dito no primeiro tópico deste post, os kenjis tornaram-se extremamente importantes na língua japonesa por se integrar aos dois outros sistemas de linguagem existentes, o hiragana e o katakana, e facilitar a expressão de ideias e pensamentos.

Isso porque o primeiro engloba o alfabeto inicial, isto é, aquele aprendido pelas crianças, e é desenvolvido de forma cursiva. Além disso, contém os fonemas do idioma e a forma adequada de verbalizar as palavras e sílabas quanto à entonação.

Já o katakana, por sua vez, é o segundo alfabeto, sendo ensinado para os jovens devido ao acréscimo de complexidade e utilizado no destaque de sentenças e orações e na construção de sentido. Outro uso frequente é na substituição de palavras e nomes estrangeiros.

Ou seja, como você pode observar, faltava um complemento que interligasse ambos os alfabetos e permitisse a leitura e escrita facilitada para o povo nipônico. Assim, os caracteres chineses ocuparam esse papel e formaram o terceiro e último alfabeto japonês. Isto é, aquele capaz de representar palavras e ações, com sentido completo, por meio de uma simples grafia.

Porém, é claro, a pronúncia e a estrutura de escrita da grande maioria dos símbolos foi alterada ou adaptada à nova cultura, permanecendo apenas a mesma base dos ideogramas em ambos os países.

Como utilizar ideograma japonês na decoração?

Agora que você aprendeu o que são os ideogramas japoneses, o motivo de continuarem a ser usados na língua japonesa e que cada kanji possui um significado especial, é hora de passar para uma etapa muito importante: a forma correta de utilizá-los na decoração.

Afinal, quando se pensa em um décor com referências à cultura nipônica, muita gente acredita que é preciso fazer adaptações na estrutura no imóvel, trocar completamente a mobília e investir no uso massivo de cores como o vermelho, branco e preto.

Porém, nenhuma dessas opções é, de fato, necessária e podem significar apenas custos que vão comprometer seu orçamento mensal. Por isso, você pode (e deve) se valer de alternativas mais simples, mas que tragam um efeito final muito mais discreto, elegante e de bom gosto.

Pensando nisso, reunimos 5 dicas, entre acessórios decorativos e revestimentos, para você se inspirar com diferentes possibilidades de usar os caracteres no seu lar e fugir dos clichês que só poluem visualmente os ambientes e não geram harmonia entre si.

Em seguida, mostramos como você pode incluí-los nos mais diferentes cômodos da residência com sugestões de iluminação, ambientação e otimização do espaço com referências orientais sem abrir mão do conforto, aconchego e, é claro, do equilíbrio visual.

Acessórios decorativos e revestimentos

Adesivos de parede

1. Papel de parede

Para começar, você pode utilizar um revestimento que está cada vez mais em alta quando o assunto é decoração do lar: o papel de parede. Afinal, ele tem um excelente custo-benefício, é de fácil aplicação — já que dispensa mão de obra —, possui ótima durabilidade e pode ser empregado em diferentes cômodos do imóvel sem restrição.

Essa opção traz os ideogramas japoneses em forma de padronagem, seja ela com o uso intercalado de kanjis ou com apenas um presente em todo o padrão. Outa característica é que o tamanho do símbolo pode ser reduzido ou ampliado e ter uma paleta de cores complementares ou análogas.

2. Adesivo de parede

O adesivo de parede, por sua vez, é uma alternativa para quem não deseja revestir toda a superfície vertical do cômodo, mas sim usar os ideogramas japoneses como um diferencial no ambiente. Por esse motivo, são caracteres únicos que representam fé, paz, amizade, sucesso, sabedoria e outros palavras com significado especial.

As dimensões de cada kanji podem variar desde 11×25 cm até 43×95 cm, quando na vertical, e 14×15 cm até 93×95 cm, quando na horizontal. A variedade de tons é mais um aspecto importante nessa opção, já que facilita a integração do símbolo escolhido ao décor do recinto de forma harmônica e sutil.

3. Pintura em aquarela

Outra possibilidade de revestimento para as paredes que tem conquistado adeptos é o uso da pintura em aquarela. Essa tendência não possui o intuito de cobrir as superfícies por completo, mas sim utilizá-las para criar desenhos à mão que simulam os ideogramas japoneses — logo, a mão de obra especializada é fundamental para um resultado perfeito.

Combinando tons suaves e delicados, como o amarelo celestial, o rosa quarto e o azul bebê, cria-se camadas com formatos únicos para personalizar qualquer ambiente e trazer o simbolismo de palavas e sentidos.

Contudo, quem escolhe essa opção deve estar ciente que, diferente das outras duas, não é possível aplicá-la em todos os cômodos, mas sim apenas em salas, quartos e home offices.

4. Espelhos decorativos

Já os espelhos decorativos com os kanjis recortados a laser em suas superfícies trazem benefícios que vão além da utilização da simbologia dos ideogramas japoneses no seu lar. Isso porque a refletância dessas peças ajuda a maximizar a iluminação no ambiente, deixando-o mais claro, pois cria novos direcionamentos para os fachos luz que recebe.

Além disso, esses acessórios atuam em outro aspecto: a ampliação visual do recinto. Um detalhe simples, mas que faz toda a diferença em cômodos compactos nos quais o espaço precisa ser otimizado constantemente.

Eles podem vir em tamanhos de 22×25 cm ou 26×30 cm e serem dispostos em conjunto de dois ou três, por exemplo, na parede de quartos, salas, cozinhas, varandas etc.

5. Letras decorativas

Por fim, é possível trazer os ideogramas japoneses em outro acessório que tem se tornado frequente nos estilos de decoração contemporâneo e industrial: as letras decorativas — que podem ser feitas desde o acrílico até o metal.

Essas peças podem ser usadas tanto com apoio para prateleiras, aparadores e estantes quanto com apliques para sere penduradas na parede. A escolha fica ao seu critério. Já o acabamento de cada item varia entre o dourado, o prateado e o acobreado.

Elas podem ser dispostas no ambiente isoladamente, isto é um, com apenas um kanji, ou explorando a simbologia de um grupo de caracteres, como “foco, força e fé”.

Referências orientais nos ambientes

ambiente de descanso

Sala

Para começar, temos a sala, um ambiente que costuma desempenhar o papel de aglutinador. Isto é, o canto da casa onde se reúnem amigos, familiares e demais convidados que você recebe no seu lar.

Por ser um cômodo com maior fluxo de pessoas, a inspiração do oriental na decoração traz a tendência clean, ou seja, “menos é mais”. Logo, diminui-se a quantidade de móveis e o foco é na otimização do espaço, tornando-o mais amplo, arejado e organizado.

Abajures e arandelas são opções de iluminação para fugir da tradicional iluminação centralizada no teto. As cores tendem a uma paleta terrosa. Para complementar o recinto, pintura em aquarela, papel de parede, adesivo de parede ou mesmo espelhos decorativos podem ser usados.

Isso porque todos vão harmonizar com o estilo adotado e ter um bom equilíbrio com outros acessórios, como almofadas estampadas, luminárias de coluna, tapetes felpudos, puffs, vasos ornamentais, quadros e telas.

Quarto

O quarto é o ambiente de descanso e recuperação de energias. Portanto, é importante evitar excessos e manter apenas o indispensável no local, sempre levando em conta a tendência minimalista.

Um ponto importante é que o décor com raízes orientais foca em proporcionar mais conforto no cômodo. Para isso, utiliza-se de mais travesseiros, almofadas e roupa de cama. A cama, ao contrário do que se pensa, não precisa ser em contato com o chão.

Ela é sim mais baixa do que o modelo tradicional de cama ocidental, mas para fazê-la não é preciso gastar muito. Isso porque você pode utilizar pallets com técnicas DIY (faça você mesmo, em inglês) para criar a base para o colchão.

Além disso, as luminárias são sempre pendentes e costumam ser agrupadas em número ímpar (3, 5 ou 7). Já os ideogramas japoneses podem estar presentes em adesivos de parede, papel de parede, letras decorativas e espelhos decorativos. Aqui os biombos surgem como opção de trocador para complementar o closet charme e elegância

Banheiro

O banheiro muitas vezes é um espaço deixado de lado quando se pensa em um novo estilo de decoração para a residência. Contudo, isso é algo que não deve acontecer no seu lar, pois quando se deseja adotar um estilo oriental aprende-se que todo e qualquer recinto é igualmente importante.

Nessa área, por exemplo, é comum o uso da aromaterapia por meio de óleos essenciais, como o de alecrim e lavanda. Fora isso, pedras e sais de banho são fundamentais para o equilíbrio do corpo e da mente durante o banho.

A iluminação, por sua vez, pode ser feita por spots ou fitas de LED. Já os caracteres podem ser aplicados no espaço como adesivos de parede e letras decorativas. Vasos ornamentais também são uma ótima pedida.

Varanda

Para quem mora em apartamento, a varanda do imóvel costuma ser uma incógnita na hora da decoração. Isso porque em muitas construções ela não é uma parte integrada da residência, mas sim uma área externa.

Com isso, é comum que inúmeras pessoas tenham o desejo de personalizá-la e criar um canto especial. Logo, nada melhor que aproveitar o estilo oriental e criar um canto único no seu lar, seja ele de meditação ou contato com o verde.

Para isso, você deve pensar na harmonia do espaço, acrescentando um jardim vertical, um futon em cor neutra, uma luminária pendente em formato circular e adesivos de parede com kanjis da paz e da felicidade, por exemplo.

Cozinha

Por fim, na cozinha, você pode adotar uma paleta de cores claras que despertem a harmonia visual e promovam a sensação de bem-estar.

A iluminação pode ser feita por meio de spots no teto, pois eles criam diferentes fachos de luz que aumentam a luminosidade no cômodo sem causa desconforto aos olhos. Afinal, esse é um ambiente no qual a atenção precisa ser redobrada já que você cozinha e manuseia objetos cortantes.

Aqui, assim como ocorre nos demais recintos, a adoção do “menos é mais” prevalece tornando o local mais espaçoso e organizado. O uso de prateleiras é reduzido e eletrodomésticos pequenos, panelas e demais utensílios são sempre guardados no interior dos armários.

Contudo, bancadas gourmet são bastante valorizados no décor com referências orientais, já que simboliza a união familiar durante as refeições. Por isso, complemente o espaço com espelhos decorativos com o símbolo da família.

E então, gostou de conhecer quais são os principais ideogramas japoneses, os seus significados e o porquê de serem usados até hoje na cultura nipônica? Então não perca mais tempo, siga as nossas dicas e comece a usá-los na decoração do seu lar inserindo-os nos ambientes corretos com bom gosto, estilo e sofisticação.

De quebra, você poderá imprimir sua personalidade e transmitir ideias, significados e até mensagens por meio da rica e vasta simbologia dos kanjis. Por isso, entre em contato agora com a gente para ter os mais diferentes caracteres em seu lar, personalizando-o da forma que você quiser!

 

Conheça a loja

Escrito por QCola