Ter um lar que é a sua cara exige mais do que saber como decorar a casa. É preciso, também, investir nos elementos e nas escolhas certas para que tudo transmita a sua personalidade e quem você realmente é.

É a partir da seleção dos itens decorativos que têm tudo a ver com o que você gosta que será possível conseguir aquela sensação de ter um lar que é a sua cara. Se souber escolher corretamente, essa é uma sensação que chegara até a quem coloca os pés no seu lar. Graças a tudo isso, os convidados sentirão que lá não poderia ser a casa de mais ninguém que não fosse você.

Se conquistar o sucesso nessa tarefa parece impossível, saiba que o resultado que tanto deseja está mais próximo do que imagina! Quer saber como colocar em prática? Então confira tudo o que fazer e onde não errar!

1. Entenda seu estilo antes de começar a decorar

Antes de pensar em comprar itens para colocar nos cômodos, é necessário descobrir qual é o seu estilo. A sua essência pode ser divertida, comunicativa ou reservada e a forma de decorar acompanha essas características.

As diferentes opções são divididas de acordo com os itens e com as combinações. Cada personalidade tem um estilo predominante, mas nada impede que seja feita uma mistura para chegar ao resultado que sempre sonhou.

Dentre os que aparecem com frequência, estão:

1.1. Clássico

É uma pessoa que gosta de se manter ao que já conhece? Valoriza o que é refinado e atemporal? Então uma decoração clássica vai transmitir bem quem você é. Ela usa cores e componentes sóbrios, mas sem perder o charme.

1.2. Rústico

O estilo rústico é perfeito para quem quer uma casa que se pareça com uma fazenda. Os objetos de madeira se destacam, assim como a presença de itens naturais. Ele tem tudo a ver com uma personalidade forte e direta.

1.3. Moderno

Já quem está sempre antenado nas novidades, provavelmente vai curtir uma pegada moderna. Ela usa itens que são tendências e emprega materiais diversos para criar uma composição única e contemporânea.

1.4. High low

Se gosta de unir peças caras às mais baratas, dando um toque único, o high low é perfeito. Ele garante aquele toque de luxo longe do exagero, fazendo com que o ambiente fique ainda mais valorizado.

1.5. Vintage

Quem gosta de coisas do passado e valoriza as tendências anteriores tem tudo a ver com uma decoração vintage. Móveis de família e estampas características tomam o lugar e demonstram muita personalidade!

1.6. Clean

O minimalismo tem tudo a ver com pessoas discretas e que valorizam a simplicidade, sem exageros. Quem gosta de praticidade aliada a conforto se dá bem com um estilo clean, em que poucas peças fazem o ambiente.

1.7. Romântico

Já o romântico está ligado a jeitos doces e ao interesse por elementos carregados de sentimento. As peças claras e fofas combinam com essa preferência na hora de decorar e com essa forma de encarar a vida.

1.8. Étnico

Também não dá para deixar de lado quem tem uma personalidade marcante e interessada em outras culturas. Se gosta de ter um pouco do mundo por perto, o estilo étnico — como africano, oriental ou indiano — é a pedida ideal!

2. Quais cômodos vão traduzir seu estilo

composiçao unica e contemporanea

Embora o ideal seja que a casa inteira mostre a sua essência, é mais fácil caprichar e garantir que alguns lugares traduzam exatamente quem você é.

Nesse sentido, tudo vai depender do tipo de sensação que deseja passar, de modo a selecionar os cômodos que vão transmitir a sua essência..

Para caprichar no foco da decoração, alguns cômodos incluem:

2.1. Sala de estar

A sala de estar é, normalmente, o local onde recebem-se as visitas. Como é um dos cômodos mais frequentados da casa, imprimir o seu estilo por ali é uma forma de garantir que todos sintam que esse é, mesmo, o seu lar.

Além de tudo, expressar personalidade logo de cara faz com que todos já fiquem preparados para o que vem pela frente nos próximos cômodos.

Como esse tende a ser um local especialmente espaçoso, é muito fácil acertar em cheio nos elementos para transmitir o resultado.

2.2. Quarto

O seu quarto é o local onde é possível descansar depois de um dia longo e onde dá para aproveitar diversos momentos. Mesmo que ele não seja o cômodo mais visitado do lar, colocar o seu próprio toque vai garantir que você se sinta ainda mais à vontade nesse ambiente.

Por isso, não tenha medo de transmitir a pessoa que você é e do que gosta por meio de itens nesse ambiente. Ao mesmo tempo, é preciso tomar cuidado, pois se for casado, a outra pessoa também tem que opinar sobre o que será escolhido.

2.3. Cozinha

A cozinha não precisa ser apenas o local onde as refeições são preparadas entre eletrodomésticos e móveis padronizados. Em vez disso, ela pode transmitir uma personalidade divertida por meio de adesivos na geladeira ou de decorações no azulejo, por exemplo.

Dar o seu toque nesse ambiente vai tornar as refeições divertidas e, de quebra, também vai causar uma boa impressão nas visitas. Na hora de ser o anfitrião de um jantar, por exemplo, a cozinha que tem a sua cara vai chamar a atenção pelos motivos certos.

2.4. Área externa

Mesmo que ela não seja grande, a área externa pode colocar em prática todos os passos de como decorar a casa com estilo e personalidade. Lá dá para relaxar, criar boas memórias e até mesmo receber os amigos.

Seja esse espaço um grande quintal ou uma pequena varanda de apartamento, vale a pena caprichar para deixá-lo charmoso.

3. Busque itens que representem seu gosto

Mais do que simplesmente seguir tendências ou imitar cômodos que aparecem em fotos, é fundamental escolher aquilo que tem o seu gosto. Esse é o tipo de coisa que não dá para fingir ou forçar, já que algumas coisas vão te agradar e outras, não.

A busca, portanto, deve ser em relação ao que tem a ver com o que se deseja expressar. Além de tudo, devem ser do seu gosto. Dentro de uma decoração, três são os elementos mais importantes:

3.1. Móveis

Os móveis precisam ser funcionais, mas também têm que ser bonitos e de acordo com o estilo que tanto deseja. Um sofá provençal tem tudo a ver com uma decoração clássica, enquanto um com design inovador combina com a personalidade moderna.

Em alguns casos pode fazer sentido utilizar peças antigas — como as de família —, enquanto em outras situações é necessário investir em peças contemporâneas e nada óbvias.

É fundamental escolher móveis que reúnam, portanto, as três características: utilidade, beleza e adequação às suas características — afinal, nem sempre um item, por mais adequado que seja, realmente te agrada.

3.2. Cores

As cores também são determinantes para o resultado final da decoração. Quem opta por tons neutros — como branco, cinza e bege — está ligado a um aspecto tradicional. A pegada clean fica por conta da inserção do preto, criando um contraste interessante.

Tons terrosos combinam com o rústico, enquanto cores pastéis vão bem com o romântico e, em alguns casos, com o vintage.

Já as cores intensas e vibrantes casam com um estilo moderno ou étnico, dependendo de cada combinação.

3.3. Objetos decorativos

Outra questão que merece muita atenção diz respeito aos objetos decorativos. São essas escolhas que vão determinar se cada cômodo tem ou não um pouco de você.

Para começar, investir em objetos pessoais é praticamente uma regra. Aquele item que ganhou de presente ou que comprou em uma viagem especial diz mais sobre sua essência e sua personalidade do que imagina.

Também é preciso pensar em outros itens que reflitam os seus gostos. Pôsteres divertidos e criativos, por exemplo, deixam bem claro que você gosta de um determinado item da cultura pop. Aliando isso às demais combinações — como de cores e móveis —, dá para garantir que tudo tenha mesmo a sua cara.

4. Aproveite peças de família ou com significado para você

Lembra-se de que os itens não precisam ser sempre novos para fazer parte da decoração? Pois é, aproveitar as peças de família ou com significado é uma das formas eficazes de gerar um resultado que conte, efetivamente, a sua história e do que gosta!

Porém, não há fórmulas prontas para usar aquilo que é único e especial para a sua vida. É hora de colocar a mente para trabalhar de modo a incorporar os tudo da melhor maneira possível!

Quer saber como? Então veja a seguir:

4.1. Adapte a peça para o estilo de decoração

A verdade é que nem toda peça que tem muito significado vai casar perfeitamente com o tipo de decoração utilizado. Aquele móvel de madeira antigo pode ficar bem em uma sala rústica, mas não tem tanto a ver se a procura é em investir em algo contemporâneo.

Sendo assim, você deve adaptar a peça ao seu estilo de decoração, inclusive dando uma nova função. Uma mala antiga, por exemplo, pode ser a mesa de centro de uma sala moderna e ousada. Da mesma forma, um espelho moderno de acrílico pode servir como um ponto divertido para uma decoração que é focada em peças retrô de família.

Não se prenda ao único uso que um objeto possui, abuse da criatividade e incorpore-o ao resultado final que deseja.

4.2. Dê uma cara nova à peça

Porém, nem sempre é possível empregar o objeto do jeitinho que ele está para decorar com harmonia. Se for o caso, é possível dar uma cara nova à peça, sem culpa!

Um móvel de madeira escura, por exemplo, pode receber camadas de tinta colorida para criar uma peça moderna. Assim, dá para empregar o item que é importante, mas sem abrir mão dos pontos de decoração.

Da mesma forma, um objeto antigo pode ser trabalhado e se transformar em um novo abajur ou em um item de decoração inédito e exclusivo. Tem como decorar a casa de um jeito mais único do que esse?

4.3. Ofereça destaque a esse elemento

Colocar a personalidade para fora tem tudo a ver com destacar os pontos marcantes de quem você é. Já que esses itens são tão importantes quanto dar uma cara única ao cômodo, vale a pena oferecer destaque a eles.

Não esconda suas peças em um cantinho esperando que ninguém note aquilo que, na verdade, é algo importante. Em vez disso, valorize e dê destaque àquilo que tem história e significado para você e, agora, para o seu lar.

5. Atenção para a escolha das cores ao decorar a casa

cores transmitem sensaçoes

As cores são muito importantes para o seu lar. Elas vão transmitir uma sensação de calma ou de euforia, além de determinar se os demais elementos serão chamativos ou discretos.

Sabendo disso, é fundamental tomar cuidado com as nuances que serão empregadas para não terminar com um ambiente que não é cheio de personalidade — mas, sim, de exageros.

Algumas dicas são bem úteis nessa etapa e entre elas estão:

5.1. Não abra mão dos neutros

Por mais que a intenção seja criar um ambiente moderno ou retrô cheio de cor, é fundamental não abrir mão totalmente dos tons neutros. Eles funcionam como a âncora em um barco e vão garantir que a decoração não afunde na bagunça de tons.

Ainda que pretenda investir em um ambiente cheio de tons vibrantes, não abra mão de usar os bons e clássicos branco, preto e marrom. Isso dará algum senso de organização ao ambiente e também vai tornar mais fácil combinar os demais tons.

5.2. Aposte em pontos de cor

Em vez de colocar cor em tudo, que tal apostar em pontos coloridos? Assim, é possível chamar a atenção com mais facilidade e sem poluir a visão. Não é preciso criar um ambiente todo branco e com uma única peça colorida, mas é indicado evitar ter muitas áreas vibrantes.

Além de tornar difícil conquistar a harmonia, o excesso faz com que nada se destaque. Por outro lado, quando você investe em colocar a cor nos lugares certos, consegue um ambiente harmonioso.

5.3. Não se esqueça das estampas

Um ótimo jeito de conseguir unir várias cores de maneira harmônica é apostando em estampas. Exceto as monocromáticas e em preto e branco, elas oferecem a mistura de formas e tons, criando uma sensação única para o seu ambiente.

Acha que a cozinha está sem graça? Então que tal investir em um azulejo estampado? Quer mudar a cor das paredes da sala? O papel de parede é uma opção conveniente, barata e que pode ser mudada mais facilmente. Quer que uma área do quarto fique diferenciada? Então invista em um adesivo estampado que poderá ser retirado caso enjoe.

Com esse truque, dá para criar ambientes vivos e adequados, sem pesar a mão nos tons.

6. Misture elementos que representam o que você gosta

A sua personalidade não é linear. Por mais que algumas características se destaquem, o seu humor e cada situação mudam a forma como você age e do que gosta. Por isso, se quiser saber como decorar a casa mostrando as suas características, faz todo o sentido pensar nas misturas.

Ainda que queira algo clássico ou clean, apostar na mescla de elementos vai criar uma decoração dimensional e fiel ao que gosta. Afinal, nem só de filmes clássicos ou de peças modernos uma pessoa gosta, certo?

Algumas dicas para não errar nesse processo incluem:

6.1. Invista em combinações pouco óbvias

Em tese, a sua essência é uma das coisas que te fazem único no mundo. É graças à combinação personalizada de gostos, atitudes e interesses, você se torna quem realmente é. Muitas vezes, essas combinações não são tão óbvias, então a sua casa também não precisa ser.

Dá para ter um ambiente romântico com uma ou outra peça rústica, assim como um cômodo moderno com componentes clássicos. A intenção é criar combinações diferenciadas, que não sejam tão exploradas, mas que funcionam porque representam quem você é.

6.2. Crie ambientes distintos

Também não é preciso adotar o mesmo estilo de decoração em todos os cômodos da casa. Ainda que haja essa ideia de criar unidade, se está buscando expressar quem realmente é, nada impede ousar um pouco e criar ambientes distintos.

É perfeitamente possível ter uma cozinha retrô e uma sala moderna. Ou então um quarto bem clean e minimalista e um espaço gourmet com um toque rústico e natural. Trata-se de algo que vai imprimir a sua assinatura em cada ambiente!

6.3. Não tenha medo de ousar

A busca, aqui, não é por criar uma casa que seja igual àquela que está estampada nas páginas de revista ou nos sites sobre o tema. A principal intenção é elaborar algo que tenha tudo a ver com você, certo?

Sendo assim, não tenha medo de ousar. Esqueça-se um pouco das regras limitantes e invista naquilo que te traz a sensação certa. Ter boas orientações é fundamental, mas deixe um pouco de lado as proibições sobre combinações que parecem ser ousadas demais para dar vida à sua visão.

7. Como decorar a casa sem exagerar

Papel de parede peças versateis

Ao mesmo tempo, é fundamental saber como decorar a casa sem pesar a mão. Por mais que a intenção seja a de imprimir quem você é em cada parte, exagerar na dose pode criar espaços confusos e pouco valorizados.

Evitar que esse risco se concretize vai economizar esforço e dinheiro, então é fundamental acertar logo de primeira. Quer saber como evitar exageros? Veja a seguir:

7.1. Não comprometa o espaço de circulação

Um dos grandes sinais de que pesou a mão na decoração é o fato de que não há espaço o bastante para andar no cômodo. Se a área de circulação não é o suficiente, então é sinal de que há coisas demais ou que a disposição está incorreta.

Para evitar que aconteça, limite o número de itens a serem usados, criando espaços vazios para que o ambiente não fique atravancado.

7.2. Aposte em peças versáteis

Ao investir em itens definitivos para o ambiente, fica difícil mudá-los conforme o seu gosto. O resultado é o inevitável acúmulo e exagero ao final.

Para evitar que isso aconteça, prefira apostar em peças versáteis. Em vez de pintar todas as paredes do cômodo, por exemplo, aposte no papel de parede. Barato e fácil de aplicar, ele poderá ser substituído com menos esforço quando chegar a hora.

7.3. Tenha cuidado com as tendências

Por mais clássico que o seu estilo seja, sempre surgem tendências do que usar e de como aplicar na decoração. Embora essas recomendações sejam úteis, usá-las sem critério vai fazer com que o ambiente perca a individualidade.

Em vez de seguir todas as tendências, procure analisá-las com cuidado e identificar o que, efetivamente, tem a sua cara. A partir disso, aproveite aquilo que realmente tiver a ver com você — e não só o que é bonito.

7.4. Busque a harmonia

Independentemente de qual é a sua personalidade e de quais itens têm a ver com ela, é fundamental que eles combinem entre si. Tire um tempo para analisar com o que aquele item de viagem combina ou qual cor ficará melhor para um canto do cômodo.

Garanta que, ao olhar o conjunto da obra, seja possível ter uma sensação agradável, em vez de itens que brigam e disputam a atenção de quem chega.

7.5. Tenha cuidado com as proporções

Você pode escolher tudo certo, mas talvez veja o resultado arruinado por causa das proporções. Uma cama muito grande, um tapete pequeno demais ou mesmo uma estampa desproporcional pode dar a sensação de ambiente exagerado.

Para não cometer esse pecado, busque um equilíbrio entre formas e tamanhos. Garanta que tudo converse entre si e, principalmente, que tenha a ver com o espaço disponível. Assim, será possível criar algo charmoso, bonito e representativo.

Quer outras dicas de como decorar a casa e muito mais? Então assine nossa newsletter e receba as novidades fresquinhas em sua caixa de entrada!

 

Conheça a loja

Escrito por QCola